top of page

O Polêmico especial "The Closer" do Dave Chapelle

Ele disse e cumpriu:

Dave Chapelle em seu último especial na Netflix
“Eu vou até o fim.”

Nem de perto é o melhor especial de Chapelle. Mas o que ele vai de fato até o fim.


A polêmica sobre suas piadas serem homofóbicas e ou transfóbicas têm sim um fundamento. Mas Dave é muito mais inteligente do que o estereótipo de comediante de humor negro (ou humor ácido). Ele debate sobre o assunto, não joga a piada só para ser engraçada.


O titulo do especial já anuncia o fim de sua carreira como comediante (ele fez isso em 2004 e voltou em 2017, não parece ser algo só pra promover o show). Além disto (SPOILER) ele conta a tragédia de uma amiga trans o que dá um sentido ao seu direcionamento de seu show.


Eu acho que se você for negro e não for preso, prepare para ser cancelado por falar além do racismo. Principalmente um comediante, os exemplos são inúmeros. Pois a repercussão do especial me dá uma impressão que os comediantes negros ainda estão presos em piadas que devem ser sobre o racismo. Se for além, desagrada.


Claro que eu não sou dono da verdade. Nem significa que concordo com suas piadas. Mas entendo completamente sua visão. E sua coragem em ir além do óbvio. E eu não julgo quem o julga, e espero que eu não seja julgado por não julga-lo.


As piadas sobre o Ronaldo ainda existem, mas não foi feita por ele. Ele foi a piada. É isso que Chapelle fala? Não, pois há muito mais coisas que ainda não são ditas, pra se preservar de ser atacado em rede social até cometer suicídio. E são os homens que mais tiram a própria vida, em torno 80% dos casos, acredita? Até nisso a gente é privilegiado (tsc tsc).


Vale a pena o debate, não o embate.


Uma piada, mas como você vai interpretar?

Porque a comedia é o maior alvo de críticas sendo que toda uma indústria de entretenimento é a maior propagadora de preconceito? E mesmo dando muito dinheiro, Dave abandona mais uma vez essa hipocrisia descarada que existe com quem lucra seja com o preconceito ou seja contra ele. O que engaja é o que importa. E a gente acha que o jogador é o culpado, nunca o jogo.


Bom, Chapelle abandona a comedia pela segunda vez, e eu não espero que as estatísticas de violência contra a comunidade LGBTQ2+ diminua com isso. Mas no fundo eu espero que isso aconteça, Porque daí finalmente fica comprovado que o comediante é quem puxa o gatilho. Mas seria muito fácil neh?

Eu creio que: O comediante não muda absolutamente nada na sociedade, ninguém morre por não existirem ou por existirem, mas me refiro à algo substancial, não um caso perdido que possa embasar uma teoria cientifica. Talvez a indústria de treta que deveria agradecer por cada piada polêmica feita. Afinal as piadas de famosos são boa parte da fonte de faturamento desse jogo de cancelamento.

28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page